Grupo Mundial

Estrutura, organização e investimentos marcam assistência farmacêutica do Estado

O ano de 2021 começou com uma das notícias mais aguardadas: o início da vacinação em massa contra a Covid-19. Todo o volume de imunizantes e medicamentos utilizados para o combate ao coronavírus no Estado foi organizado e distribuído pelo Centro de Medicamentos do Paraná (Cemepar), localizado em Curitiba, vinculado à Secretaria da Saúde (Sesa).

 

Ao longo dos meses foram desenvolvidas várias ações para que todo o material recebido do governo federal, de doações ou de compra própria da Secretaria chegasse em tempo recorde aos 399 municípios do Paraná.

 

Com o constante recebimento dos produtos, foi necessária uma mudança na estrutura e na rotina das esquipes para descentralizar as 287,7 milhões de unidades de medicamentos, soros e vacinas, que correspondem ao montante de R$ 2,2 bilhões.

 

Somente de imunizantes, de janeiro até dezembro, mais de 20 milhões de doses foram distribuídas pelo Cemepar, destinadas à primeira e segunda doses, além da dose de reforço dos paranaenses.

 

 

Para o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, esse foi um dos maiores desafios. “Para receber, organizar, armazenar e distribuir toda a quantidade de doses foi necessário mudanças, adequações e um grande empenho dos servidores, colaboradores e parceiros”, disse. “É com grande emoção e agradecimento que terminamos o ano passado, e conseguimos suprir as demandas para que medicamentos e vacinas chegassem até ao principal destino, a população”.

 

Tanto as farmácias e centrais de abastecimento farmacêutico como o Cemepar reestruturaram sua rede de frio. Para as Regionais de Saúde foram enviados 70 novos equipamentos de refrigeração para a conservação de medicamentos, além de 78 freezers verticais destinados ao armazenamento de gelox (gelo reutilizável).

Já a sede do Cemepar recebeu seis contêineres refrigerados e cinco ultrafreezers, aumentando sua área de armazenamento de produtos refrigerados. As novas aquisições permitiram manter as vacinas contra a Covid-19, especialmente a Pfizer/BioNTech, às temperaturas de +2ºC a +8ºC, de -25ºC a 15ºC e, durante toda a validade (seis meses), de -80ºC à -60ºC.

CONVÊNIOS – A Sesa também renovou os dois convênios com o Consórcio Paraná Saúde para aquisição de medicamentos básicos, destinados aos 398 municípios consorciados, no valor de R$ 171,5 milhões, e transferiu ao município de Curitiba (não consorciado) R$ 5,5 milhões para a mesma finalidade.

“Além de toda a logística que habitualmente fazemos, que são parte das politicas públicas, houve o acréscimo no volume de medicamentos. Conseguimos dar a agilidade necessária nas entregas e distribuição para que chegassem aos 399 municípios do Paraná e executar os repasses de recursos para a compra dos medicamentos da Atenção Básica. Um ano de muitas vitórias”, afirmou a coordenadora da Assistência Farmacêutica do Paraná, Deise Pontarolli.

ASSISTÊNCIA – A Assistência Farmacêutica engloba um conjunto de ações voltadas à promoção, proteção e recuperação da saúde, tanto individual como coletiva, tendo o medicamento como insumo essencial. As Farmácias do Paraná fornecem gratuitamente medicamentos para mais de 90 tipos de doenças, entre elas artrite reumatoide, diabetes mellitus tipo 1, doença de Crohn, Alzheimer e Parkinson, esclerose múltipla e insuficiência renal crônica. Durante o ano passado, cerca de 314 mil pacientes foram atendidos.

REMÉDIO EM CASA – Outra importante ação em 2021 foi a ampliação do serviço “Remédio em Casa” para a 15ª Regional de Saúde de Maringá (Noroeste) e a 3ª de Ponta Grossa (Campos Gerais), uma estratégia para reduzir os deslocamentos dos pacientes às Farmácias das Regionais de Saúde e trazer maior segurança aos usuários residentes nos municípios-sede, por conta da necessidade de isolamento social pela pandemia.

Atualmente, são 13.510 cadastrados que recebem em domicílio medicamentos de uso contínuo do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf) e do Elenco Complementar da Secretaria da Saúde. Além das Regionais que aderiram em 2021, outras três (Curitiba, Cascavel e Londrina) fazem parte do programa.

“A estratégia faz parte da regionalização da Saúde no Paraná, que é uma das principais metas do governo Ratinho Junior. Estamos levando a assistência e os serviços especializados para perto da casa dos paranaenses”, disse Beto Preto.

DIGITAL – Em outubro, um grande avanço tecnológico permitiu a implantação do programa “Farmácia do Paraná Digital”, um sistema para a solicitação de medicamentos e envio de documentos para o cadastro pela internet, sem sair de casa. Em dois meses, 900 cadastros foram feitos na nova modalidade, eliminando a utilização de processos em papel. No momento, o serviço está disponível para moradores de Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel, onde estão as farmácias com maior número de usuários.

Um dos últimos investimentos de 2021, em dezembro, foi a aprovação de um incremento excepcional a ser repassado a todos os municípios para o financiamento estadual do Componente Básico da Assistência Farmacêutica (CBAF), em virtude da pandemia, no valor de R$ 10,4 milhões. No mesmo mês foram transferidos aos municípios cerca de R$ 2,9 milhões como incentivo à organização da assistência farmacêutica municipal.

Para solicitar os medicamentos padronizados na Farmácia do Paraná o paciente deve ir pessoalmente a uma das farmácias das Regionais de Saúde ou do seu município, e pela internet para moradores de Cascavel, Curitiba, Londrina e Maringá. Os cadastros feitos online têm a confirmação em até cinco dias. Já o prazo para a avaliação das solicitações de medicamentos, tanto pessoalmente quanto pela internet, é de 60 dias. O cadastro online pode ser feito AQUI.

Foz do Iguaçu

Paraná

Brasil

Mundo