Grupo Mundial

Com documentos em mãos, famílias de Goioerê celebram o Natal com casas regularizadas

A inquieta dona de casa Janete Gomes Vieira, de 66 anos, deixa transparecer na voz embargada e nos olhos marejados a emoção de quem está realizando um sonho de menina. Depois de mais de 18 anos de Jardim Galileia, bairro humilde de Goioerê, na Região Centro-Oeste do Paraná, ela enfim tem em mãos o documento de propriedade da casa. “Estou muito satisfeita”, contou a mulher de poucas palavras e uma simplicidade acolhedora.

Os Gomes Vieira são uma das 209 famílias que tiveram o direito de propriedade reconhecido pelo Governo do Estado. Os documentos, com custo zero para os moradores, foram entregues nesta quinta-feira (16) durante visita do governador Carlos Massa Ratinho Junior a Goioerê.

Além da tão esperada regularização fundiária, ele anunciou um grande pacote de investimentos para a cidade, no valor de R$ 28 milhões. “Tenho certeza que agora, com esses títulos em mão, essas famílias terão um Natal ainda mais especial. O nosso governo está empenhado em melhorar a vida das pessoas”, disse Ratinho Junior. “É um projeto fantástico, capaz de realizar o sonho de tanta gente que precisa desse apoio do Estado”, acrescentou.

A ação faz parte do programa Morar Legal Paraná, coordenado pela Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) e contou com R$ 152,5 mil em investimentos do Estado – os custos foram de aproximadamente R$ 730 por imóvel.

“É um dia de glória para essas famílias, o fim de uma longa espera. O governador Ratinho Junior ouviu a população e sabe que a habitação é um dos problemas do Paraná, por isso trata o assunto como prioridade”, destacou o diretor de Regularização Fundiária da Cohapar, Luis Corti.

Por ser formado majoritariamente por famílias de baixa renda, o grupo beneficiado com os títulos não precisou pagar pelo serviço. Os custos foram subsidiados com recursos do Fundo Estadual de Combate à Pobreza. A medida garante que as famílias contempladas não paguem nada pelos serviços, garantindo mais segurança jurídica e valorização dos imóveis.

“Passamos a ter direitos, a certeza de que não vai chegar ninguém aqui e dizer que a casa não é nossa. Todo mundo prometia essa regularização, mas nunca saía”, disse a cozinheira Santa Xavier Dias, de 52 anos, que mora há 22 anos no Jardim Galileia – atualmente ela divide a pequena casa com a mãe, o marido e um filho.

“Estou muito emocionada. É bom saber que temos um governo que se compadece das pessoas mais humildes”, afirmou Janete.

Quem também não escondia a satisfação era a aposentada Maria José da Conceição, de 60 anos. Ela conheceu o Jardim Galileia em 1999, fincou raízes e de lá não saiu mais. Mas ainda que nunca tivesse dúvidas de que ali era o seu canto no mundo, não se sentia completamente confortável. Faltava alguma coisa. Faltava a escritura que recebeu das mãos do governador Ratinho Junior, com direito a passagem pelo palco, aperto de mãos, pose para fotos e tudo mais.

“Foram muitos anos de espera, nunca dava certo. Todo o bairro está feliz. É um dia único, que vai marcar a minha vida para sempre”, afirmou ela, que com a documentação pretende legitimar um financiamento que possibilite reformar a casa que divide com o marido e o filho. “É gratificante”, disse.

O contrato firmado entre a Cohapar e a Formatta, empresa especializada vencedora do processo licitatório conduzido pela companhia, prevê a regularização de até 750 imóveis no município, com investimento total de aproximadamente R$ 548 mil.

“São famílias que necessitam muito. Um grande presente de Natal, de Ano-Novo e da Páscoa”, brincou o prefeito de Goioerê, Betinho Lima.

Foz do Iguaçu

Paraná

Brasil

Mundo